A Fórmula E se torna a primeira categoria esportiva a ter uma pegada de carbono zero líquida certificada desde a criação

O ABB FIA Formula E Championship se tornou a primeira categoria esportiva a ter uma pegada de carbono zero líquida desde a criação, investindo em projetos certificados internacionalmente em todos os mercados automobilísticos para compensar as emissões de seis temporadas de corridas elétricas.

O anúncio da Fórmula E foi feito hoje durante o lançamento da Semana do Clima de Nova York 2020. Seguindo a abordagem recomendada determinada pela Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (CQNUMC), a Fórmula E deu três passos fundamentais para alcançar uma pegada de carbono zero líquida: medição efetiva da produção de carbono, priorização da redução da pegada e compensação das emissões inevitáveis restantes.

Com uma finalidade primordial de neutralizar a mudança climática, o compromisso da Fórmula E de oferecer um futuro melhor por meio das corridas determina as iniciativas contínuas ambientais, econômicas e de sustentabilidade social em todo o mundo.

A Fórmula E se torna a primeira categoria esportiva a ter uma pegada de carbono zero líquida certificada desde a criação

Trabalhando com a Quantis, principais especialistas em sustentabilidade e avaliação do ciclo de vida, a Fórmula E tem calculado a pegada geral do campeonato desde a primeira temporada, com um enfoque contínuo na redução das emissões.

As medidas de redução das emissões, inclusive a otimização do transporte e da logística, o prolongamento das opções ao final da vida útil para células de bateria de íon-lítio e a abolição do plástico descartável no local, levaram a Fórmula E a se tornar a primeira e única categoria automobilística a receber a certificação ISO 20121 de terceiros para eventos sustentáveis.

As emissões inevitáveis das últimas seis temporadas também já receberam a certificação de compensadas por meio do investimento nos projetos Gold Standard e Verified Carbon Standard da ONU de acordo com o Clean Development Mechanism da CQNUMC.

Os projetos selecionados são socialmente sustentáveis, promovem a produção de energia renovável e maximizam os benefícios ambientais de carros elétricos, partindo do trabalho feito pela Fórmula E até hoje para oferecer legados positivos e tangíveis em mercados automobilísticos. (Para consultar a lista completa, veja abaixo.)

A Fórmula E já está pensando em como pode fazer ainda mais para combater a crise climática global. Assim, em nome da Fórmula E, o CEO Jamie Reigle assinou a carta EU 2030 da ONU na semana passada. A carta dá apoio à campanha global Race to Zero da ONU para uma economia descarbonizada que se proteja de ameaças futuras, gere oportunidades de emprego de qualidade e estimule o crescimento inclusivo e sustentável.

Jamie Reigle, CEO da Fórmula E, disse: "O ABB FIA Formula E Championship pretende oferecer um futuro melhor por meio do automobilismo, e nosso compromisso é desempenhar um papel importante no combate aos efeitos da mudança climática. Temos medido e reduzido ativamente nossas emissões desde nossa criação e temos orgulho de termos alcançado uma pegada de carbono zero líquida com a compensação de nossas emissões restantes.

"Temos a responsabilidade de minimizar o impacto ambiental de nosso esporte global e o prazer de apoiarmos projetos ambientais vitais em todos os nossos mercados automobilísticos. Por termos um propósito como esporte, continuamos comprometidos em ampliar nossas práticas sustentáveis e esperamos inspirar outros a se juntarem a nós nessa jornada."

Jean Todt, Presidente da FIA, disse: "Vejo com muito bons olhos esse passo importante dado adiante pelo ABB FIA Formula E Championship em nome do meio ambiente. Além disso, somos signatários da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima e esse é um de nossos quatro pilares do #PurposeDriven, movimento lançado pela FIA para ampliar a contribuição do esporte a motor e da mobilidade à sociedade."

Lista de projetos com compensação certificada internacionalmente:

• China: geração de energia por biomassa
• Chile: geração de energia por gás de aterro sanitário
• México: geração de energia por gás de aterro sanitário
• Argentina: geração de energia eólica
• Uruguai: geração de energia eólica
• EUA: geração de energia por gás de aterro sanitário
• Malásia: geração de energia por gás de aterro sanitário
• Marrocos: geração de energia eólica
• Certificados de energia renovável no Reino Unido, na Alemanha, na França, na Itália, na Suíça e na Rússia

A Fórmula E deu três passos fundamentais para alcançar a neutralidade de carbono: medição efetiva, redução da pegada da categoria e compensação das emissões inevitáveis restantes